3 motivos para incluir o ESG no plano de comunicação da sua empresa

29 de abril de 2021
Adriano Ortolani
Crédito: Canva

Certamente você já deve ter ouvido falar em ESG (Environmental, Social and Governance; em português, os fatores Ambientais, Sociais e de Governança). Considerado o “tema da década” em comunicação empresarial, a sigla vem atraindo a atenção de um número cada vez mais expressivo de empresas, dos mais variados segmentos, que buscam se adequar aos parâmetros desse conceito para estarem atualizadas com as necessidades do mercado e da sociedade dos dias atuais.

A boa notícia é que muitas dessas corporações já estão empenhadas em comunicar suas ações dentro desse escopo. Um levantamento recente da Aberje (Associação Brasileira de Comunicação Empresarial) apontou que a maioria das organizações divulga suas ações focadas em sustentabilidade e sociedade sociais. Entre as que ainda não o fazem, 12% dizem acreditar que é “muito provável” que o façam sem um futuro próximo (ainda em 2021), e 20% afirmam que é “provável”.  

Entre as empresas que já estão comunicando suas iniciativas e as que pretendem comunicar ainda esse ano, os principais temas a serem abordados são: defesa do meio ambiente (21%); incentivo à educação (19%), igualdade de gêneros (15%) e combate à desigualdade social (11%) e diversidade e inclusão (14%). 

Embora esse esforço seja importante, outras ações são necessárias. Com o ESG cada vez mais em alta, não basta comunicar as iniciativas do grupo para os públicos interno e externo, é  fundamental também considerar as questões que ele engloba na hora de elaborar um plano de PR. Mais do que isso, pode-se afirmar, sem medo de errar, que hoje e em dia já tornou-se inviável traçar um bom planejamento de comunicação – seja de qual empresa for- sem levar em conta os aspectos do ESG.

Pensando nisso, listamos 3 razões para não deixar esse importante quesito de fora da sua estratégia de PR:

Reputação: O principal objetivo do trabalho de PR é construir uma boa imagem e reputação da empresa ou marca. Pensando que o ESG também está diretamente ligado à reputação positiva de uma corporação, não é difícil compreender por que esses dois aspectos estão intimamente ligados, e são até difíceis de se dissociar.

Hoje, não é exagero dizer que as narrativas sobre uma empresa devem estar focadas nos 3 aspectos do ESG, e cabe à área de comunicação – ou no caso, a agência contratada- planejar o que será divulgado, de que forma, em que meios, e seguindo qual cronograma.  Ou seja, o ESG é um “prato cheio” para gerar notícias de viés positivo, mas, para que o trabalho de PR seja bem-sucedido e gere resultados satisfatórios, é imprescindível que as notícias sobre a corporação/marca sejam disseminadas pelos canais adequados, com mensagens-chave bem elaboradas, por meio de porta-vozes bem preparados e no timing correto. Caso contrário, uma divulgação que pretendia ser positiva pode tornar-se um “tiro no pé”. 

Quem tem o know how para conduzir a divulgação da forma correta, sem risco de reveses para a corporação, é a agência de comunicação e PR. É o time da agência que poderá pensar e planejar a melhor forma de comunicar as iniciativas de ESG da sua empresa. Por isso, se a sua empresa já adotou essas práticas, está na hora de pensar de que forma irá comunicá-las da forma mais eficiente para seus públicos. 

Chamariz para investidores: Outro aspecto que torna importante a inclusão do ESG no plano de PR de uma empresa é o fato de que as boas práticas nos 3 pilares da sigla – ambiental, social e governança- costumam fazer “brilhar os olhos” dos investidores. Hoje em dia, um grande número de pessoas busca se associar a grupos e marcas que reflitam seus valores e crenças – e isso vale para colaboradores, parceiros, consumidores, e também investidores. Muitos hoje buscam investir em empresas comprometidas com causas ambientais e em ajudar a sanar as questões sociais, além, é claro, de boas práticas na gestão empresarial.

Sendo assim, criar iniciativas de ESG agrega valor à marca, mas, para isso, é preciso que os diferentes stakeholders – desde o investidor até o consumidor final- tomem conhecimento dessas ações. Mais uma vez, é preciso contar  com uma equipe de comunicação que atue de forma estratégica e com visão a longo prazo. Caso contrário, a empresa desperdiçará a oportunidade de fazer o “selo” ESG trabalhar a seu favor.

Gestão de riscos: Hoje, as empresas podem beneficiar-se do ESG utilizando os princípios da sigla com uma importante e útil ferramenta de gestão de riscos. Isso porque, ao buscar estar de acordo com os quesitos da sigla, as corporações já estão trabalhando no sentido de prevenir riscos em diversas áreas: Imagem (reputação), Recursos Humanos (evasão de talentos), Vendas (Perda de clientes), Fuga de Investimentos (afugentar investidores), além de Riscos Regulatórios.

Ou seja, o ESG é um tema extremamente complexo, que deve ser analisado com a profundidade necessária, e cujas ações devem ser muito bem planejadas e bem executadas. Hoje, as agências de PR vêm buscando se especializar nessa área, para contemplar o ESG de forma estratégica e ampla em seus planejamentos de comunicação. Esse movimento é tendência no mundo todo e irá ganhar cada vez mais força no mercado de Relações Públicas/Assessoria de Comunicação. 

Gostou das dicas?

Se sua empresa é comprometida com ESG mas não sabe como comunicar isso ao mercado, não perca tempo! Além de oferecer serviços de PR, Relacionamento com a Imprensa, Mapeamento de Mercado, Comunicação Corporativa, Comunicação Interna, entre outros, a Ortolani Comunicação é uma agência atualizada e que tem familiaridade e experiência com a comunicação de iniciativas de ESG. Por isso, somos o parceiro ideal das empresas para esse e outros tipos de divulgação.

Entre em contato conosco para uma conversa sem compromisso!

No comments

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *